Obrigado Santa Cruz!

Ismael Schabib Montero

Por: Ismael Schabib Montero - 22/11/2022

Compartilhar:    Share in whatsapp

Depois de 16 anos de governos masistas, dá nojo vê-los e ouvi-los cuspir ódio, racismo e mentiras. São pessoas que chegaram ao poder falando de honestidade, valores e amor à pátria e ainda seguem slogans do exterior e se alinham miseravelmente com uma ideologia perdedora como o “socialismo do século 21”, que destrói países como a Venezuela. Está provado que essas pessoas se organizam para impingir crimes a inocentes e fazer terrorismo de Estado, temos muitos exemplos e a esta lista devemos acrescentar o cerco à cidade de Santa Cruz e a agressão contra pessoas que bloqueiam pacificamente as ruas nestes dias de desemprego

Passados ​​16 anos já sabemos como funciona, como comete fraude e quer continuar a fazê-lo; como ele culpa os oponentes por crimes e continua a fazê-lo; como ele usa a violência para resolver tudo e continua a fazê-lo…Santa Cruz é uma cidade que tem experiência em fazer “sangue, suor e lágrimas”, como sofreu no passado; uma cidade que dá sinais claros de sua determinação, no dia 13 de novembro, reuniu-se enfadada, em um megaconselho e disse: Basta!

Não nos deu esperança, deu-nos a certeza de que a Bolívia caminha para um futuro diferente, Santa Cruz quer que percorramos um caminho de progresso e bem-estar na democracia como ela tem sabido fazer por si mesma. O povo de Santa Cruz não é santo, nem é o mais inteligente, não é "o povo escolhido", constitui uma sociedade com os mesmos vícios de outras sociedades, mas há algo que os diferencia, não são conformistas, não cedem à inércia nem ao domínio dos haters e dos complexos, querem viver bem, essa é "a sua arma secreta", porque sabem o que é viver mal, por isso, uma vez eles já têm bastante musculatura política e econômica, eles se tornam a região líder da Bolívia, com uma cultura de paz, alegria e trabalho frutífero que convida o resto dos bolivianos a se livrar do jugo do ódio e das mentiras que nos adoecem. Ele confirmou que é um líder em nosso país, embora nesta cruzada pelo censo apareça sozinho e apesar disso: pode. O megaencontro de domingo, 13 de novembro, foi um recado à consciência do povo boliviano, deixou claro com força o peso específico desta região e do tabuleiro de xadrez do poder na Bolívia.

Aproveito para dizer aos meus compatriotas do Beni que não somos o quintal de Santa Cruz porque os recursos econômicos do país são administrados a partir da sede do governo; procure na internet "O Memorando de Santa Cruz de 1904" onde você vai descobrir que os santacruzenses já tinham uma visão clara de sua região a mais de um século e o que se propuseram então conseguiram, é a Santa Cruz de hoje; nesse documento você pode ler sua posição, relacionamento e pensamento sobre o Beni. Além disso, tem uma alavanca poderosa, socialmente falando, é a síntese da bolivianidade. Por si só é a Bolívia, é a Bolívia que mais avança.

Obrigado Santa Cruz por nos dar a certeza de que dias melhores virão para todos! Viva a Bolívia unida!